Resenha: HQ Tê Rex: Spoilerfobia


Se, como eu, você ama cultura pop e/ou é fã de dinossauros, pare agora tudo que você está fazendo e vá ler Tê Rex: Spoilerfobia.

Essa história em quadrinhos foi financiada pelo Catarse em 2018. Ela traz um compilado de tirinhas com roteiro de Marcel Ibaldo e artes de Marcelli Ibaldo. Antes que você pergunte, sim, eles são pai e filha.

A protagonista das tirinhas é Teresa Rex  – Tê, para os mais íntimos –, uma tiranossaura nerd, feminista e mais politizada do que muito ser humano por aí. Tudo é inspirado nos dilemas diários vividos pela própria Marcelli, que tinha 11 anos (PASMEM!) na época da publicação.

Mas só porque os desenhos foram feitos por uma criança, não se engane. Eu mesma comecei a ler esperando uma coisa fofinha e engraçada e, já nas primeiras páginas, levei vários tapas na cara com a profundidade dos assuntos abordados.

Empoderamento feminino, o nosso cenário político complicado, racismo, machismo e bullying são alguns dos principais temas. Além de muita crítica social, a gente também encontra muitas referências nerds, como Planeta dos Macacos, My Hero Academia, memes e muito mais.

Jamais pensei que fosse tão fácil me identificar com um réptil jurássico, mas Tê Rex me conquistou. Ela está sempre com um livro ou uma HQ debaixo dos seus bracinhos curtos de tiranossaura, mas odeia emprestá-los e foge loucamente de spoilers. Apesar de ser uma dinossaura, ela é gente como a gente.

Se você já surtou esperando uma encomenda chegar, já sofreu quando sua série favorita foi cancelada ou quando recebeu o spoiler de que seu personagem preferido morre, pode ter certeza que também vai se identificar.

A HQ é curtinha, com menos de 100 páginas, e dá pra ler de uma só sentada. No final, Marcelli compartilhou alguns dos seus desenhos e é clara a sua evolução. Também há uma galeria de convidados, que traz a versão da Tê Rex de artistas como Vitor Cafaggi e Cris Eiko.

Vale mencionar que o roteirista e pai corujassauro Marcel foi vencedor da 29ª edição do Troféu HQMIX e também já foi premiado no Silent Manga Awards, no Japão. Com um mentor desses, espero nada menos que um futuro brilhante pra Marcelli e sua Tê Rex.

Eles dois compartilham uma conta no Instagram, a @terexhq, onde compartilham tirinhas inéditas, dicas de leitura, processo criativo e muito mais. Vale a pena acompanhar.

Texto originalmente postado no site Modo Meu.

Comentários